Bem-vindo ao site do CEH Ricardo Nardelli

PINACOTECA MUNICIPAL

Guilherme de Carvalho Dias

 

Falecido precocemente em 20 de junho de 1986, Guilherme de Carvalho Dias tornou-se o patrono da Pinacoteca Municipal, criada em outubro de 1985.

 

Guilherme, mais conhecido como "Blanco", foi um publicitário e ilustrador que se dedicou a trabalhos diversos em revistas e jornais, destacando-se também em cartazes, como o da 50ª Festa de Nossa Senhora do Pilar (1986). Era um amante da cidade. O jornal "Cidade de Mauá" o definiu, à época de sua morte, como um grande colaborador de Ribeirão Pires no campo das artes plásticas, da fotografia e com o seu "eficiente e autêntico trabalho profissional como publicitário".

 

Seus trabalhos ficaram conhecidos pela qualidade. Em agosto de 1986, por exemplo, o Festival Sertanejo da Grande São Paulo foi divulgado através de um cartaz de sua autoria, que venceu publicitários de quase todos os municípios da Grande São Paulo.

 

Guilherme também tinha habilidade como restaurador e fez muitas recuperações fotográficas para o Museu Municipal. Foi uma enorme quantidade de fotos que ele ampliou, como a das principais famílias, o aparecimento do trem, a evolução do município, entre outras.

 

Amante da natureza, sonhava em ver Ribeirão Pires ser elevada a Estância Turística, pois acreditava que somente com o título a cidade poderia ter o verde preservado. Treze anos depois de sua morte, Ribeirão Pires se tornou, em 1998, Estância Turística.

 

 

Biografia

 

Guilherme de Carvalho Dias foi um artista gráfico, desenhista e pintor autodidata de nossa cidade de raro talento e versatilidade que fez entre outras tantas coisas, inúmeras capas para a famosa revista brasileira dos anos 50/60, Chácaras e Quintais, além de um incontável número de artes para empresas, folhetos, embalagens e cartazes como as da nossa festa anual de Nossa Senhora do Pilar realizadas em silkscreen nos anos 80. Guilherme, com o pseudônimo bastante conhecido de Blanco, também foi um dos principais Fotógrafos profissionais (com “F” maiúsculo mesmo) desta cidade, tendo documentado nossa cidade com acuidade profissional e visão ímpar, em belas panorâmicas em preto e branco e à cores, e as diversas mudanças que foram ocorrendo na topografia e nas construções. Foi também hábil com marcenaria na construção de barcos (no tempo em que estes ainda eram usados para se passear na nossa Represa Billings) e piloto de aeronave, cinegrafista apaixonado pelos documentários de Jacques Cousteau e do National Geographic, além de fotógrafo de natureza e publicitário bastante procurado em seus estúdios em São Paulo e aqui na Avenida Fortuna 111 onde residia, tendo feito diversas fotos e artes publicitárias. Após seu falecimento em 1986, chegou a ser homenageado pela administração da época tendo seu nome dado a uma sala especial, uma pinacoteca da Prefeitura, com placa e dedicatória, hoje desativada sem explicação. Infelizmente também, seu acervo de fotos também não foi preservado ou catalogado como deveria ter sido e o que resta, ao que parece, são fotos isoladas aqui e ali e algumas pinturas difíceis de encontrar. Fica registrada aqui esta singela homenagem do História & Arte com a lembrança também de uma pessoa amiga, de caráter ímpar e leal, com seu senso de humor inesquecível, ou seja mais um cidadão ribeirãopirense de que todos podemos nos orgulhar de termos tido e principalmente convivido.

 

Depoimento de Odayr de Lima sobre Guilherme de Carvalho Dias

 

(...) e quando passei a trabalhar em publicidade, o fazia como autônomo, em sociedade com um grande amigo, Guilherme de Carvalho Dias  , artista notável, infelizmente já falecido.

 

H&A: Vocês chegaram a ter um estúdio em Rudge Ramos nos anos 80 não é mesmo?

 

Odayr: É verdade, eu e o Guilherme montamos um pequeno estúdio em Rudge Ramos (São Bernardo do Campo) e fazíamos o que hoje se chamaria de Assessoria Artística para gráficas, editoras, jornais, etc.

 

H&A: Fale um pouco sobre seu trabalho como chargista.

 

Odayr: Bem, tanto o Guilherme como eu, vivíamos fazendo brincadeiras com as caricaturas e situações jocosas, com amigos e, às vezes, até nos trabalhos do estúdio, como ilustração da idéia criada. A gente era chargista e não sabia!

 

Fonte: http://www.idstudio.art.br/hea/ribeirao/

 

Guilherme de Carvalho Dias, também conhecido como "Blanco".

Cartaz da 50ª Festa do Pilar desenhado por Guilherme de Carvalho Dias, no ano de sua morte.

Prefeitura da Estância Turística de Ribeirão Pires. 2017.